Resultados da pesquisa para crise

Serviços do Estado sem dinheiro para salários até Dezembro
Vários serviços da Administração Pública estão a solicitar à Direcção-Geral do Orçamento para descativar verbas para que possam pagar salários até ao final do ano, avança hoje o Diário Económico. Ou seja, esclarece o jornal, estas entidades do Estado estão sem dinheiro para fazer face a todas as despesas com pessoal até Dezembro.

O orçamento de alguns serviços da Administração Pública têm até ao final do ano não chega para as despesas com pessoal, designadamente salários, apurou hoje o Diári
Governo gasta 160 milhões de euros com 13 653 carros
O Estado, incluindo empresas e administração local, gasta por ano perto de 200 milhões de euros em carros
O governo, ministérios e respectivos organismos, tem actualmente uma frota de 13 653 automóveis, de acordo com um relatório da ESPAP - Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, com data de Setembro, a que o i teve acesso.

O documento - que terá ficado pronto em Junho, embora só tenha sido enviado pelo Ministério das Finanças ao parlamento no mês passado - resulta de uma
Despesa com governantes e gabinetes aumenta 10%
O Diário de Notícias (DN) faz, esta quarta-feira, as contas ao que no próximo ano o Governo prevê gastar com o seu staff, entenda-se salários, aquisição de bens e serviços, deslocações, etc. No total, o Governo prevê uma despesa de 36,7 milhões de euros, ou seja, um aumento de 10% fase a este ano. À cabeça surge, desde logo, a Presidência do Conselho de Ministros, que inclui os gabinetes de Passos e Portas, que prevê gastar 9,4 milhões de euros.

A promessa, feita em 2011 pelo primeiro-minist
Saiba como a austeridade o vai afectar a si em particular em 2014
O Jornal de Negócios meteu mãos à obra e criou um guia online que lhe explica o essencial da austeridade do Orçamento do Estado de 2014 e como o irá afectar a si em particular.

Dos aposentados da Caixa Geral de Aposentações aos trabalhadores por conta de outrem, passando pelos desempregados e os viúvos. O Negócios diz-lhe quais as medidas que constam no Orçamento do Estado para 2014 que os vai penalizar.
Governo sorteia prémios com valor global anual até 10 milhões a quem pedir facturas
Primeiro foi a possibilidade de deduzir valor do IVA em IRS por via das facturas de serviços prestados por empresas de áreas como a restauração e cabeleireiros, até um determinado valor. Depois, essa medida foi alargada. Agora, o Governo propõe-se aprovar um regime que irá criar “um sorteio específico para a atribuição de um prémio às pessoas singulares com um número de identificação fiscal associado a uma factura” que tenha sido comunicada à Autoridade Tributária.

De acordo com a proposta d
Cavaco Silva e Assunção Esteves não são obrigados a abdicar da pensão
A proposta de Orçamento para 2014 ontem apresentada vem estender aos titulares de cargos políticos a mesma regra de impedimento que está prevista para quem recebe pensões da Segurança Social e da CGA.

Os titulares de cargos políticos que já estejam reformados não vão poder optar entre receber pensão ou salário, consoante o mais favorável. Presidente da República e presidente da Assembleia da República serão obrigados a receber o salário correspondente à função, mesmo que a pensão seja mais e
FMI diz que IRS dos ricos pode subir de 48% para 60% em Portugal
A taxa de IRS que incide sobre os mais ricos, atualmente em 48%, pode subir até cerca de 60% do rendimento coletável, indica um estudo do Fundo Monetário Internacional (FMI), ontem divulgado. Noutras áreas da tributação também sugere haver margem para maximizar a receita: nos imóveis e na tributação ligada ao ambiente, por exemplo.

O relatório “Fiscal Monitor” – que analisa as tendências orçamentais e fiscais em dezenas de países por todo o mundo – mostra que Portugal ainda pode fazer muito
Ângelo Correia, que recebe 2200 Euros por mês, diz que suspender subvenções vitalícias é demagogia completa
Ângelo Correia, ex-ministro e ex-deputado do PSD, considera que a proposta, discutida no seio do Governo, de suspender as pensões vitalícias dos políticos “é demagogia completa”.

“Cortar tudo é demagogia completa. Há pessoas que não têm outros meios de subsistência. Conheço vários casos”, afirmou, em declarações ao SOL, acrescentando concordar com cortes de 15%.

Ângelo Correia tem uma pensão vitalícia atribuída de cerca de 2.200 euros. Recebeu-a entre 1998 e 2012, quando uma nova lei veio

Notícia.net é um portal de notícias colaborativas, onde quem decide quais as notícias que serão publicadas é você. Participe adicionando notícias e votando para que as novas notícias sejam publicadas na página principal.