Analfabetos compram carta de condução por 4 mil euros
Pagavam entre 2.500 a 4.000 euros e tinham uma carta de condução na mão. Era desta forma que os analfabetos ou pessoas que nunca frequentaram escolas de condução obtinham uma carta para circularem na estrada. Esta foi uma rede criada em 2004 e só no ano passado foi desmantelada pela Polícia Judiciária, indica o Jornal de Notícias.

Eram analfabetos ou nem sequer frequentavam uma escola de condução, mas andavam na estrada legalmente. Isto porque existia uma rede de 107 pessoas e nove empresas – essencialmente, escolas de condução – que falsificavam as cartas de condução e em troca pediam entre 2.500 euros a quatro mil euros.

Contudo, foram apanhados em 2013 pela Polícia Judiciária de Vila Real, segundo o Jornal de Notícias.

Os cabecilhas eram cerca de 36 examinadores e gerentes de escolas de condução em Mirandela, Bragança, Moncorvo, Vila Real, Braga, Viana do Castelo, Porto, Aveiro e Guarda, e existiam ainda aqueles que angariavam interessados em pagar para ter a carta de condução.

Estava ainda envolvido um especialista em informática do Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres, de Bragança.

Os candidatos à carta de condução ficavam a saber as repostas através de sinais ou era colocada outra pessoa a fazer o exame ao invés do examinado.

Este esquema rendeu muito dinheiro aos envolvidos, pois muitos andavam com carros entre 100 mil e 150 mil euros, com um salário de pouco mais de mil euros.

Cinco dos envolvidos ficaram em prisão preventiva por perigo de fuga.


Quem votou nesta notícia



Recomendado para si
Gostou desta notícia?