Asfixia namorada e mata-a com pá
Ciumento e possessivo, Ricardo Pacheco, de 19 anos, voltou a discutir com a namorada, Bruna Pinto, da mesma idade. Empurrou a estudante, que bateu com a cabeça no muro do cemitério de Santo Tirso. Bruna ficou logo a sangrar da cabeça e pela boca e Ricardo tentou asfixiá-la. Convencido de que a vítima já estava morta, foi a casa buscar uma pá para a enterrar. Mas quando voltou, a jovem ainda respirava. Ele bateu-lhe com a pá na cabeça. Foi o golpe fatal.

Tudo aconteceu no sábado à noite, depois de uma saída do casal que namorava há três anos. Ontem, Ricardo foi presente a tribunal e ficou em prisão preventiva, depois de confessar os contornos do violento crime.
Explicou ao juiz que perdeu a cabeça e ficou sem noção quando agrediu violentamente Bruna. Garantiu ainda que não se recorda em que contexto começou a discussão com a jovem.

Durante dois dias, a família e os moradores da urbanização onde a jovem vivia fizeram buscas no mato. "Primeiro, encontrámos uma pulseira dela. Depois, uma vendedora de flores encontrou as chaves, e por fim, o meu cunhado encontrou a mochila onde ela guardava tudo. Só faltava o telemóvel. Depois, ligámos de imediato para a Polícia Judiciária e eles encontraram o corpo", disse ao CM Maurício Pinto, o pai da jovem estudante.
Bruna estava decidida a terminar a relação, depois das sucessivas discussões e ameaças de suicídio de Ricardo. "Sábado, ela foi encontrar-se com ele, porque ele disse que tinha uma surpresa para ela. Mas a surpresa era matá-la", contou, abalado.

"Nunca pensei que ele fosse capaz de uma coisa destas. Eu já tinha dito à minha filha para ter cuidado. Pensei sempre que ela poderia estar amarrada num local qualquer, mas com vida", desabafou o pai de Bruna.


Quem votou nesta notícia

  1. Avatar
  2. Avatar


Recomendado para si
Gostou desta notícia?