Crise promove curso intensivo para ser prostituta
Face ao aumento do número de mulheres interessadas em dedicar-se à prostituição, foi criado um curso de "profissionalização". Para fazer face ao desemprego, são cada vez mais as mulheres espanholas interessadas em fazer parte do mundo da prostituição.

Foi em resposta a este facto que a associação de trabalhadoras sexuais, Aprosex, decidiu proporcionar, às mulheres interessadas, um curso intensivo de "profissionalização" na área.

O objetivo da iniciativa pretende ajudar as mulheres a superar todas as dificuldades iniciais. Sejam elas relacionadas com a sexualidade, saúde ou finanças.

Durante a formação, as mulheres vão aprender a refletir sobre a necessidade de tratar bem os clientes ou não mentir nos anúncios sobre a sua fisionomia.

Conxa Borrel, presidente da Aprosex, confirmou ao diário espanhol 'El Periodico' que são, na maioria, mulheres jovens, entre os 18 e os 23 anos, aquelas que têm optado pela prostituição, sobretudo ao não encontrarem saída profissional ou outra forma de pagar as despesas da universidade. A somar a esta faixa etária, mulheres desempregadas com mais de 50 anos recorrem também à prostituição.

O curso intensivo tem o nome "Prostituição: noções básicas para a profissionalização" e contará com o apoio de uma psicóloga clínica.

A inicativa justifica-se pelo facto de "ser prostituta não ser algo vocacional. Contudo, quando se toma essa decisão, é necessário saber umas quantas coisas para que não se sintam perdidas, como aconteceu comigo no início", explicou Conxa Borrell, presidente da associação e prostituta de luxo. O curso realiza-se no próximo sábado, em Barcelona.


Quem votou nesta notícia



Recomendado para si
Gostou desta notícia?