É escocesa, tem 20 anos e recruta esposas para jihadistas
Uma jovem escocesa de 20 anos estará entre as mais célebres recrutadoras europeias para a ISIS. Aqsa Mahmood, porém, não recruta homens para pegarem em armas. Recruta outras jovens como ela para se casarem com jihadistas islâmicos e terem os seus filhos.

Filha de uma família de classe média alta, Aqsa foi criada num bairro de boas famílias, frequentando escolas inacessíveis à maioria das raparigas da sua idade. Era descrita pela família e amigos como “doce, inteligente e pacífica”, mas ontem foi descortinada a sua implicação numa rede de recrutamento a operar através das redes sociais, onde tenta atrair outras “irmãs” da Europa e Estados Unidos para a causa.

Mahmood terá fugido de casa em novembro passado para se dirigir à Líbia, onde as autoridades acreditam que se terá casado com um membro ligado ao Estado Islâmico. Longe dos sítios onde se têm cometido os atos barbáricos que têm chegado através de imprensa à casa de todos nós, porém, Aqsa incentiva quem a lê a cometer atos como os registados há anos na Maratona de Boston.

No seu blogue e no Twitter, onde tem mais de dois mil seguidores, incentiva os interessados que se queiram juntar à causa “a trazer para perto de si o campo de batalha, se não conseguirem chegar ao campo de batalha”.

Os seus pais, que consideram ter-lhe providenciado todas as comodidades para uma vida livre, advertem: “Se a nossa filha que teve todas as chances e liberdade na vida pode tornar-se numa ‘bedroom radical’ (rebelde de quarto) será possível que isso aconteça em qualquer família”.


Quem votou nesta notícia



Recomendado para si
Gostou desta notícia?