Ex-concorrente do
Susana Henriques é, na opinião de Rui Barros, ex-treinador de ‘Peso Pesado’, um caso de "extraordinária força de vontade e trabalho". Quando em 2011 entrou no programa pesava 170,9 kg. Os quatro meses de treino fizeram a balança cair até aos 117 kg. À ‘Correio TV’ confessa: "Consegui perder 100 kg só num ano". Hoje, com 31 anos, a jovem que trabalha num café é atleta de crossfit e vai ser treinadora desta modalidade. Mas a sua maior conquista foi recuperar a mobilidade. "É o crossfit que me tem mantido motivada. Treino uma hora, todos os dias, mesmo nos dias em que trabalho doze horas. "Quem quer, arranja maneira. Quem não quer, arranja desculpas", diz.

Outra ex-concorrente de ‘Peso Pesado’ é Marta Santos. A advogada, de 33 anos, tinha 130 quilos quando se candidatou à primeira edição do programa. Não conseguiu entrar, mas começou aí a batalha contra a obesidade. Quando foi chamada para a segunda edição já pesava 115,4 kg. Saiu com 80 quilos. "Hoje peso 85, porque ganhei massa muscular. O programa foi a melhor coisa que me aconteceu na vida. Mas o desafio maior não é perder peso, é mantê-lo. O corpo é muito traiçoeiro, sobretudo para as mulheres que precisam do dobro do esforço", esclarece. Marta Santos treina cinco vezes por semanas, às vezes sete. Ainda hoje se emociona quando recorda este percurso de vida.

Filipe Matias, de 36 anos, de Beja, é outra referência. Entre os 22 países onde o formato foi exibido, é o único concorrente que conseguiu perder 70,5 kg em quatro meses. "Foi duro, mas consegui", refere orgulhoso. O alentejano, que entrou com 170,9 kg, nunca deixou de se sentir o verdadeiro vencedor do concurso. "Ao fim e ao cabo ganhei o programa. Fui a pessoa que perdeu mais peso, mas ganhei apenas os 25 mil euros [prémio de casa]. Na altura fiquei revoltado", frisa. Hoje, Filipe Matias pesa 96 quilos e permanece empenhado em melhorar a aparência e a saúde. "Treino diariamente e levanto-me cedo para correr ou andar de bicicleta". Além de participar em provas internacionais de BTT, dedica grande parte do seu tempo livre à Associação Portuguesa Contra a Obesidade. Uma organização da qual é fundador e que promove o controlo da pré-obesidade e das doenças que dela advêm. "Antes de entrar no programa era uma pessoa perdida, sem objetivos, destroçado com os insucessos empresariais e pessoais. Tudo isso fez-me chegar aos 183 kg. Tinha-me esquecido da autoestima e da autoconfiança". A partir dessa altura, com a motivação do filho e a preocupação de lhe transmitir outra educação e valores, a sua vida mudou radicalmente. Marco Rodrigues, vencedor da 2.ª edição, hoje com 24 anos, sai de casa com a lancheira e uma mochila com o fato de treino.

"A nossa vida vai ser sempre uma luta contra a obesidade. Mas o exercício físico é a única maneira de controlar o problema. Sei que se deixar de treinar, eu, ou qualquer outra pessoa, volto a engordar. O exercício tem de fazer parte da nossa vida", explica à ‘Correio TV’. Quando entrou no ‘Peso Pesado’, o jovem pesava 143,8 Kg, saiu com 85,2. Está com 85 kg. "Tento ir ao ginásio todos os dias, uma ou duas horas. O treino está sempre presente na minha cabeça", comenta. E é no ginásio, que o ex-vencedor (ganhou 50 mil euros) do ‘Peso Pesado’ se encontra com outros dois ex-concorrentes: José Teixeira e Marta Santos. "O programa mudou a minha vida. Para melhor. Antes tinha tentado várias vezes, mas sem sucesso. Para mudar é preciso encontrar um objetivo e não quero voltar a ser o que era. Meti isso na cabeça, e, hoje, quando cometo algum excesso sinto um peso na consciência e corrijo a situação no ginásio". Para se esquecer do que já foi, Marco desfez-se da roupa que usava quando era obeso. "Não queria ter algo associado ao que era. Essa fase da minha vida fechei-a. Ofereci a roupa a quem precisava".

Vencedor do prémio de casa da segunda edição, José Teixeira, de 41 anos, orgulha-se hoje dos seus 102 kg. "Não quero voltar atrás, não posso", sublinha ao lembrar-se que entrou no ‘Peso Pesado’ com 171,5 kg. No final do programa, o serralheiro pesava 106,2 kg. O que conseguiu depois foi com muito esforço e perseverança. "Graças ao ginásio tem sido possível manter o peso.

Treino todos os dias das 07h00 às 10h, quando começo a trabalhar, e depois das 20h00, quando termino o turno, faço mais ginásio", conta José Teixeira. "O exercício físico tornou-se um vício. Já nem me peso. Não me preocupo com a balança", remata. Participar em meias maratonas tornou-se outro "vício" para José Teixeira que agora sonha mais alto: "Quero tentar uma maratona. Sinto-me preparado para fazer 42 km. É um desafio".


Quem votou nesta notícia



Recomendado para si
Gostou desta notícia?