Foi preciso chamar os bombeiros para remover corpo de obeso, o caixão especial pesa 50 Kg
O corpo de Wellington Cortes Conceição, 33 anos, o homem de 220 quilos que morreu na madrugada de quinta-feira (15), no Hospital Roberto Santos, em Salvador, foi retirado no início da tarde desta sexta-feira (16) da unidade hospitalar com ajuda do Corpo de Bombeiros. A remoção foi feita com o auxílio do Grupamento Salvar, em uma operação que envolveu pelo menos 15 homens.

O caixão de Wellington foi produzido sob medida em Feira de Santana, a 100 km da capital baiana, pesa 50 quilos, tem dez alças, 2,20m de comprimento, 1m de largura e 70 cm de altura.

Do Hospital Roberto Santos, o corpo seguiu para o Cemitério Quinta dos Lázaros, no bairro da Baixa de Quintas, em Salvador. O enterro está marcado para 15h desta sexta-feira.

A família de Wellington acompanhou o processo de remoção do corpo, exceto uma das irmãs dele, de 27 anos, que também sofre de obesidade mórbida e há mais de um ano não consegue sair de casa.

"A gente não quer que ninguém passe por essa situação que nossa família está passando. Meu irmão chegou a esse estado porque ele tinha vergonha da sociedade. Juntou isso à depressão. Ele era um irmão querido. Eu não esperava encontrar meu irmão dentro de um caixão", lamenta Washington Cortes. "Agora nós queremos ajuda para minha irmã, que também tem essa doença. Nao podemos passar por isso de novo", teme.

Segundo a família, Wellington começou a engordar aos 28 anos. Há pelo menos dois anos, parou de trabalhar porque já não conseguia nem andar.


Quem votou nesta notícia

  1. Avatar


Recomendado para si
Gostou desta notícia?