Minipreço sob investigação
Os supermercados Minipreço estão na ‘mira’ das autoridades. A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) já abriu 11 processos-crime contra DIA Portugal, dona dos supermercados, e uma denúncia já foi enviada ao Departamento Investigação Ação Penal (DIAP)

Além dos 11 processos-crime haverá também 32 processos contraordenacionais “relativos a crimes e infrações diferenciadas, entre as quais especulação e vendas com prejuízo”, segundo o que uma fonte oficial da ASAE terá confirmado ao Sol.

As denúncias em causa dão conta de práticas comerciais abusivas e terão sido apresentadas por um grupo de franquiados dos supermercados, que culpa a empresa pela falência de alguns dos seus membros. “Não somos nós que gerimos o nosso próprio negócio, mas sim um grupo” terão criticado, revela o mesmo semanário.

Entre as diferentes acusações, refere-se a obrigação de vender a um preço determinado pelo grupo, falta de transparência, vendas com prejuízo imputadas às lojas e ainda ameaças de rescisões de contratos caso os franquiados questionem a empresa. Isto quando os franquiados, para abrirem uma loja, têm de ter meios financeiros para instalar, decorar e colocar em funcionamento a sua loja.

A DIA Portugal, entretanto, terá adiantado ao Sol que “não tem conhecimento” da investigação que já decorre no DIAP, realçando que o grupo “dispõem de um sistema de medição de satisfação dos franquiados” que terá apresentado “resultados satisfatórios” no último ano.

O grupo DIA opera atualmente em seis países e, segundo o Sol, terá sido alvo de queixas de responsáveis de franchises em cinco desses países. A única exceção serão as operações do grupo na China. Em Portugal existem 641 supermercados Minipreço, 266 dos quais funcionam em regime franchise.


Quem votou nesta notícia



Recomendado para si
Gostou desta notícia?