Desfeitas as dúvidas. Paulo Bento assegurou que não vai colocar o cargo de selecionador à disposição caso Portugal não consiga o apuramento para os oitavos de final do Campeonato do Mundo.

«Volto a dizer: o único responsável pelo que está a passar, principalmente ao nível de resultados, sou eu. Vou analisar quando for o momento. O meu sentimento hoje é o mesmo que tinha antes do jogo com a Suécia (play-off) quando transmiti o orgulho que tenho de estar na seleção e a gratidão que tenho para com estes jogadores. Sei da minha responsabilidade e também sei que, em abril, cheguei a um acordo com a Federação que não tinha só a ver com os resultados no Mundial mas também com os objetivos para 2016. Aconteça o que acontecer, não me demitido do cargo selecionador. Não é a minha intenção, também não é essa a intenção da Federação e do presidente. Com isto, tenho tudo dito», disse Paulo Bento em conferência de imprensa, considerando «normal» o apoio reiterado pela Federação, através do vice-presidente Humberto Coelho, ao selecionador.

«É normal, nem precisava que o fizesse porque tem-no feito de forma permanente. A confiança que tenho das pessoas da Federação e do presidente não é de agora, vem de há muito tempo. Nunca me faltou o apoio, agora também não.»

Questionado sobre as constantes lesões, Paulo Bento retirou ainda que mantém «toda a confiança» no departamento médico da Seleção Nacional.


Quem votou nesta notícia



Recomendado para si
Gostou desta notícia?