Salgado paga três milhões de euros para sair em liberdade
Ricardo Salgado saiu em liberdade depois de mais de seis horas de interrogatório. Fica sujeito ao pagamento de uma caução de três milhões de euros, proibido de sair de Portugal e proibido de contactar "com determinadas pessoas".

A Procuradoria-Geral da República (PGR) emitiu um comunicado a precisar as medidas de coação. Em causa está "a eventual prática de crimes de burla, abuso de confiança, falsificação e branqueamento de capitais".

A PGR explica que, "no âmbito do processo Monte Branco, foram identificados movimentos financeiros que, numa primeira fase, levaram à inquirição como testemunha de Ricardo Salgado".

O texto acrescenta que, "após essa audição", prosseguiram "diligências de investigação com a cooperação da Autoridade Tributária e Aduaneira, designadamente com a obtenção de elementos de prova por via da cooperação judiciária internacional, tendo sido recolhidos novos indícios que justificaram um conjunto de diligências de busca que foram levadas a cabo" quarta-feira.

Na sequência destas buscas, a PGR explica que foi pedida - e deferida - a emissão de mandados de detenção de Ricardo Salgado, "que passou a assumir a qualidade de arguido".

De acordo com o comunicado, o banqueiro manifestou o "propósito de prestar declarações e de colaborar com a justiça para o esclarecimento dos factos".


Quem votou nesta notícia



Recomendado para si
Gostou desta notícia?